2020 - Palestrantes

Conferência de Abertura - 18 de maio

Conheça Milton Hatoum, conferencista convidado


Milton Hatoum


Milton Hatoum nasceu em 1952, em Manaus (Amazonas), onde passou a infância e uma parte da juventude. Em 1967 mudou-se para Brasília, onde estudou no Colégio de Aplicação da UnB. Morou durante a década de 1970 em São Paulo, onde se diplomou em arquitetura na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, trabalhou como jornalista cultural e foi professor universitário de História da Arquitetura. Em 1980 viajou como bolsista para a Espanha, onde morou em Madri e Barcelona. Depois passou três anos em Paris, onde estudou literatura comparada na Sorbonne (Paris III).  Autor de quatro romances premiados, sua obra foi traduzida em doze línguas e publicada em catorze países.

Foi professor de literatura francesa da Universidade Federal do Amazonas (1984-1999) e professor visitante da Universidade da California (Berkeley/1996).  Foi também escritor residente na Yale University (New Haven/EUA), Stanford University e na Universidade da California (Berkeley). Bolsista da Fundação VITAE, da Maison des Ecrivains Etrangers (Saint Nazaire,França) e do International Writing Program (Iowa/EUA).

[...]

Sua obra já foi traduzida em 12 línguas e publicada em 14 países. 

[...]

Hatoum publicou também ensaios e artigos sobre literatura brasileira e latino-americana em revistas e jornais do Brasil, da Espanha, França e Itália. Alguns de seus contos foram publicados nas revistas Europe, Nouvelle Revue Française (França), Grand Stree (Nova York) e Quimera (México). Participou de várias antologias de contos brasileiros publicados na Alemanha e no México, e da Oxford Anthology of the Brazilian Short Story.

Em parceria com o filósofo e crítico literário Benedito Nunes, publicou Crônica de duas cidades: Belém e Manaus, em 2006, pela SECULT-PA.

Desde 1998, mora em São Paulo, onde é colunista do Caderno 2 (O Estado de S. Paulo). Foi colunista dos extintos site Terra Magazine e da Revista Entrelivros.

 

Fonte: http://www.miltonhatoum.com.br/biografia/a-historia-do-autor

18 de maio - RODA DE CONVERSA 1

PESQUISA E LIVRO ACADÊMICO: DE ONDE PARTIR E AONDE CHEGAR?


João Carlos Salles Pires da Silva

João Carlos Salles Pires da Silva

Licenciado em Filosofia pela Universidade Federal da Bahia (1985), Mestre em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (1992) e Doutor em Filosofia pela Universidade Estadual de Campinas (1999), é atualmente professor titular do Departamento de Filosofia da UFBA, no qual passou a lecionar em setembro de 1985, nele ingressando por concurso em 1990. Foi Chefe do Departamento de Filosofia (1999-2001), Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (2001-2006 e 2008-2009), Coordenador de Pesquisa da UFBA (2006-2008) e Diretor da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (2009-2014). Desde agosto de 2014, exerce o cargo de Reitor da Universidade Federal da Bahia, tendo sido recentemente reeleito para mandato de 2018 a 2022. Foi eleito membro da Diretoria da ANDIFES como Vice-Presidente, em julho de 2018, para mandato de um ano; e, em julho de 2019, também para mandato de um ano, foi eleito Presidente da ANDIFES (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior).

Fonte: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4782210Z9

Carlos Alberto Torres Gianotti

Carlos Alberto Torres Gianotti

Carlos Alberto Gianotti é um dos mais antigos editores universitários do País, tendo implantado, em 1993, a Editora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Editora Unisinos, RS, da qual é hoje o editor executivo. É especialista em edição de textos. Participou, em diferentes gestões, da Diretoria da ABEU. Autor de Um livro - Do autor ao leitor, edição ABEU, 2018, Falar o que seja é inútil, ensaios, Ed. Circuito, 2016 e Um rio circunferencial, contos curtos, WS Editor, 2012. Ensinou durante mais de trinta anos Física e Cálculo Diferencial e Integral. Vive em Porto Alegre.

Terceiro convidado a confirmar

 

19 de maio - RODA DE CONVERSA 2

LIVRO ACADÊMICO E PÚBLICO: COMO REDUZIR A DISTÂNCIA ENTRE AUTORES E LEITORES?


Florência Ferrari

Florência Ferrari

Doutora em antropologia social pela Universidade de São Paulo com tese baseada em etnografia sobre ciganos Calon no estado de São Paulo. Foi Honorary Research Fellow no University College of London entre 2008 e 2010. Publicou "Palavra cigana – seis contos nômades", vencedor do prêmio "Melhor livro reconto de 2005", pela Fundação Nacional do Livro Infantojuvenil. Foi uma das editoras fundadoras da revista Sexta-Feira - antropologia, artes e humanidades. Entre 2003 e 2012, trabalhou como assistente editorial e editora, e de 2012 a 2015, como diretora editorial da Cosac Naify. É uma das fundadoras da Ubu Editora.

Fonte: https://br.linkedin.com/in/florencia-ferrari-64a46211b

Fernanda Diamant

Fernanda Diamant

Rita Virginia Alves Santos Argollo

Rita Virginia Alves Santos Argollo

Graduada em Jornalismo, pela Universidade Federal da Bahia; especialização em História Regional, pela Universidade Estadual de Santa Cruz; mestrado em Educação, pela UFBA; e doutorado em Educação, também na UFBA, integrando a linha de pesquisa Currículo e (In)Formação, no GEC - Grupo de Pesquisas sobre Educação, Comunicação e Tecnologias. Atua principalmente nos seguintes temas: comunicação; comunicação, educação e tecnologias; televisão; jornalismo e vídeo. Possui experiência em telejornalismo, assessoria de imprensa, produção audiovisual, ensino na educação superior, implantação e gestão de cursos. Atualmente dedica-se aos estudos da televisão na web. Paralelamente, foi Diretora Regional da ABEU-Nordeste (2015-2019) e hoje é Presidente da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (ABEU).

Fonte adaptada: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4750363H4

 

19 de maio - RODA DE CONVERSA 3

ACESSO ABERTO E COMERCIALIZAÇÃO: DISTÂNCIA IRREDUTÍVEL OU APROXIMAÇÃO


Eloy Rodrigues

Eloy Rodrigues

Eloy Rodrigues é Director dos Serviços de Documentação da Universidade do Minho (UMinho).  Nas duas últimas décadas tem trabalhado na promoção do acesso aberto e a ciência aberta, tendo liderado, em 2003,  a criação do RepositoriUM - o repositório institucional da Universidade de Minho e, desde 2008, coordenando a equipa da UMinho que desenvolve o projecto Repositórios Científico de Acesso Aberto de Portugal (www.rcaap.pt).

 

É membro do EUA Expert Group on Science 2.0/Open Science,  em representação do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, e tem coordenado a participação da UMinho em mais de uma dezena de projetos (como o OpenAIRE e o FOSTER) financiados pela UE e relacionados com os repositórios e o acesso aberto.  Foi eleito em abril de 2015 como Presidente do Conselho Executivo da Confederation of Open Access Repositories (COAR), e reeleito em maio de 2018, para o mandato de  2018 a 2021.

 

É membro do Conselho Científico e Editorial da UMinho Editora, sendo responsável pelos Serviços de Edição.

 

É autor de mais de uma centena de publicações (lista completa em http://goo.gl/clZjTd) e realizou mais de meia centena de palestras, seminários e outras ações de divulgação ou formação sobre o acesso aberto,  a ciência aberta e os repositórios por todo o mundo.

Abel L. Packer

Abel L. Packer

Abel L. Packer é o Coordenador da Semana SciELO 20 Anos, Co-Fundador do SciELO. Diretor do Programa SciELO / FAPESP, Coordenador de Projetos da Fundação de Apoio à Universidade Federal de São Paulo, Ex-Diretor da BIREME – Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS). Possui graduação em Ciências, Business Management e Master of Library Science – Syracuse University. Tem experiência em ciência da informação, biblioteconomia, tecnologias de informação, gestão de informação e conhecimento.

Fonte: https://www.scielo20.org/painelistas/abel-packer/

Paula Xavier

Paula Xavier

Paula Xavier é Coordenadora de Informação e Comunicação da Fiocruz. É professora do Programa de Pós Graduação de Informação e Comunicação em Saúde do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica/Fiocruz. Possui Mestrado e Doutorado em Ciência da Informação, pelo Instituto Brasileiro de Informação Científica e Tecnonógica (IBICT)/Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desenvolve pesquisas com foco no papel da informação nas relações entre Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde, especialmente no campo da Gestão da Informação e do Conhecimento.

Fonte: https://ppgics.icict.fiocruz.br/paula-xavier-dos-santos

 

21 de maio - RODA DE CONVERSA 4

MEIO AMBIENTE E EDIÇÃO UNIVERSITÁRIA: DIÁLOGOS POSSÍVEIS


Davi Kopenawa

Davi Kopenawa

Ainda criança, viu a população de sua terra natal ser dizimada por duas epidemias, ambas trazidas pelo contato com não-indígenas e garimpeiros ilegais: uma de gripe, em 1959, e outra de sarampo, em 1967. Trabalhou na Fundação Nacional do Índio, como intérprete. Mudou-se para a aldeia Watorik+ na década de 1980. Casou-se com a filha do pajé e se tornou chefe do posto indígena Demini[3].

Foi um dos responsáveis pela demarcação do território Yanomami em 1992. Recebeu o prêmio ambiental Global 500 da Organização das Nações Unidas. Em 2010, viu sua obra La chute du ciel, escrita em parceria com o antropólogo francês Bruce Albert, ser lançada na França[4]. O livro foi traduzido para o inglês, e publicado no Brasil em 2015, traduzido por Beatriz Perrone-Moisés com prefácio de Eduardo Viveiros de Castro. O livro é um manifesto xamânico e testemunho autobiográfico de Davi para denunciar a destruição de seu povo. Foi escrito a partir de suas palavras contadas a Bruce Albert, seu amigo há mais de três décadas.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Davi_Kopenawa_Yanomami

Segundo convidado a confirmar

Terceiro convidado a confirmar